Metáfora da Semana

Metáfora da Semana 28, em 14 de Julho de 2018

O mago disfarçado de mendigo

Era uma vez... um mago que quer descobrir a autêntica generosidade dos habitantes de sua cidade. Todos sabem que o mago adora disfarçar-se e que um dia ou outro se apresentará em suas casas, mas não sabem nem como nem quando. E cada um quer manter sua boa imagem, para receber em troca algum benefício.

Um dia, o mago vestido como um mendigo bate à porta de uma casa. O senhor que abre o reconhece e quando o mendigo lhe pede comida, ele lhe oferece uma refeição extraordinária, com as melhores comidas preparadas para a ocasião. O mendigo aproveita aquela ótima comida. Num determinado momento, deixa cair o pão no chão e o anfitrião precipita-se em recolhê-lo. Enquanto está abaixado, o mendigo golpeia-o na cabeça e desaparece. O Anfitrião, surpreendido e irritado, comenta: “Era realmente um mendigo, e, além disso, também ingrato. Fui generoso, recebendo em troca um golpe na cabeça.”

Passam-se alguns dias e o mago, ainda vestido de mendigo, bate à porta de outra casa. Imediatamente a porta é aberta e ele é convidado a acomodar-se na sala de almoço, onde estavam para servir a refeição. A mesa está bem posta, com uma toalha de linho, bordada com fios de ouro, e a comida é servida em pratos de prata. Aqui também o mendigo, após ter comido e bebido, deixa cair um pedaço de pão. O dono da casa se apressa em recolhê-lo e o mendigo lhe da um golpe na cabeça e desaparece. Esse senhor também fica irado com o comportamento do mendigo, que não soube bem avaliar sua acolhida.

Passam-se alguns dias e o mago, sempre vestido de mendigo, bate numa terceira casa. Alguém lá de dentro lhe diz para entrar, a porta está aberta. Pede comida, e a pessoa ocupada diz que pode servir-se sozinho, que abra a dispensa e pegue o que desejar. O mendigo come e o dono da casa continua a fazer suas coisas. Acabando de comer, o mendigo deixa cair o pão. O senhor nem percebe. Então o mendigo chama a sua atenção para o fato. O anfitrião comenta: “Sinto muito por você. É importante tratar com respeito o alimento, mesmo se esse lhe foi doado. De qualquer jeito, se você quiser pode recolhê-lo, pois o chão está limpo.”

O mago, após ter transformado o pedaço de pão em ouro, desaparece.

Do livro: Metáforas - Para a Evolução Pessoal e Profissional  
Consuelo C. Casula