Metáfora da Semana

Metáfora da Semana 38, em 22 de Setembro de 2018

Negociação

Numa floresta distante, numa ilha perdida na imensidão do mar, havia um pequeno lago azul, onde dominava uma rã, orgulhosa de sua soberania. Ninguém a atormentava, senão os pernilongos noturnos.

Um dia, ao acordar, contemplava extasiada o ambiente colorido, quando deparou-se com uma bem urdida teia, tecida à noite com carinho pela aranha, alegre e feliz com a sua obra.

A rã, irada com o atrevimento da intrusa, destruiu impiedosamente sua teia.

Tamanha violência não podia ficar sem resposta e a aranha foi buscar o apoio de sua tia caranguejeira, célebre por sua picada mortífera.

Diante da ameaça, a rã aflita foi queixar-se à coruja, reconhecida como sábia e competente negociadora.

A coruja comprometeu-se a intervir, lamentando a falta de conversação, que gera todas as crises.

Finalmente, tudo ficou resolvido.

A aranha teceu nova a exuberante teia e a rã, além de aprender a apreciar a beleza da construção, descobriu um ganho surpreendente: a teia funcionava como armadilha para os incômodos mosquitos que, antes, infernizavam sua vida.

Concluiu a coruja: Quando todos percebem o que há de mutuamente válido, nas mínimas situações, a vida é harmoniosa e feliz.

Do livro: Visão e Parábolas - Francisco Gomes de Matos 
Editora Campus (livro esgotado na Editora)