Volta à página inicial

18 anos
13.219.467
visitantes únicos, veja...

RSS (Really Simple Syndication) RSS (Really Simple Syndication) Golfinho - o portal da PNL no Brasil
www.pnlbrasil.com.br    www.golfinho.com.br    www.pnl-golfinho.com.br

O que é PNL
Definição, livros e artigos para iniciantes

    Inicial
    Artigos PNL
    Livros PNL
    Cursos PNL
    Centros de PNL
    Profissionais
    Diversos
    Livros do Mês
    Filmes e PNL
    Exercícios
    * Divulgar
    Links
    PNL Escola
    Golfinho
    Impresso
    Golfinhos
    Dicas
    Biografias
    Download
    Congressos
    CDs e DVDs
    Contatos
    Cadastre-se
    Tradução PNL
    Glossário PNL
    Novidades
    Entrevistas
      e Teses

    Pesquisar
Artigo PNL: Congruência

Congruência

Steve Andreas

Congruência é o nome do estado no qual cada fibra do seu ser está em harmonia. Não importa onde esteja a sua atenção, ela não estará dispersa. Se você está admirando um pôr do sol ou trocando um pneu furado, nenhuma parte sua estará atendendo a uma outra coisa. Nenhuma parte estará murmurando "na realidade, você deveria estar começando a preparar o jantar" ou "eu deveria ter conferido o voo mais cedo". Nenhuma parte estará imaginando como incrementar esse pôr do sol com um pouco mais de laranja, ou pensando em como conseguir pneus novos. Nenhuma parte vai querer mudar de posição porque as suas costas estão um pouco desconfortáveis.

Se você olhar de novo para esta descrição, vai achar que a congruência é caracterizada pela ausência de "operadores modais". Não existe nenhum "tem que", "deveria", "escolhas", "desejos" ou "possibilidades" se introduzindo no que você está fazendo no momento. Outra maneira para descrever isso é que todos os operadores modais perdem a força juntos, focados que estão no momento presente, excluindo tudo. Se você está realmente observando o pôr do sol ou trocando um pneu dessa maneira, você pode, você quer, você está e você escolheu fazer ISSO, e não outra coisa.

Congruência é um estado delicioso, porque não há conflito entre diferentes desejos ou oportunidades, nenhum decisão a ser tomada, nenhuma alternativa a ser considerada, nada para ser feito. Muitas pessoas descrevem os estados congruentes em termos místicos como estar "em sintonia com o universo", e muito tempo e energia é dedicada para alcançar esse fascinante estado de congruência porque é muito confortável e agradável.

Contudo, a vida no dia a dia nos apresenta continuamente alternativas para escolher. "Qual delas vou apreciar mais?" A variedade e diversidade das nossas necessidades e nossos desejos fornecem outro conjunto de oportunidades para a incongruência. "Eu vou comer agora, faço aquela chamada telefônica ou continuo a ler este artigo?"

A congruência é desejada, em particular, pelas pessoas que têm violentos conflitos internos consigo mesmas, com distintas partes advertindo repetidamente sobre as alternativas percebidas como importantes para a nossa vida. Uma parte da pessoa quer se viciar em chocolate, drogas, compras ou em fofocas, enquanto outra parte reconhece que as consequências futuras serão indesejáveis, e que outra escolha pode ser muito mais satisfatória. As pessoas buscam a congruência quando uma incongruência é importante, está infiltrada e é permanente. Em situações como esta, a importância de se alcançar a congruência é óbvia, e a PNL tem inúmeras maneiras efetivas para ajudar as pessoas a alcançarem resoluções satisfatórias para os conflitos.

Entretanto, algumas vezes, a procura pela congruência passa dos limites e se torna algo como um "Santo Gral", não somente inatingível, mas inteiramente indesejável e que ocupa demasiadamente a atenção de alguém. Quais seriam as consequências se uma pessoa estivesse sempre completamente congruente?

Sempre que deslocamos a atenção de uma atividade para outra, existe aquele momento inevitável em que estamos atendendo tanto a experiência presente como aquela para a qual tencionamos trocar. Com congruência completa, isso seria impossível. No exemplo do pôr do sol acima, a pessoa totalmente congruente estaria completamente à mercê das mudanças ambientais externas, e teria que ficar sentada por lá até que o pôr do sol sumisse na escuridão.

Escolher entre alternativas – seja entre desejos internos ou oportunidades externas – sempre envolve a comparação entre duas experiências para determinar qual delas é provavelmente a mais satisfatória, e isso exige que a pessoa seja incongruente pelo menos num ou dois momentos. Com total congruência, nós nunca seríamos capazes de escolher uma nova alternativa, nos propormos a aprender algo novo, a examinar o futuro ou nos reportarmos ao passado, ter um novo pensamento ou sermos capazes de entrar no mundo das experiências de alguém. No mundo real, a total congruência resulta em estagnação, infelicidade e total dependência das circunstâncias.

E de fato, o conforto e a simplicidade da congruência é, muitas vezes, tão importante para nós que estamos prontos para remover alternativas, evitar decisões, recusar a consideração de novas ideias, ignorar necessidades internas diferentes, etc., a fim de alcançá-la. Isso só pode ser uma solução temporária, porque o cambiante mundo de uma experiência eventualmente se intromete ou interrompe a congruência. Nós podemos enxergar estas intromissões como estranhas e perigosas, e passar boa parte do tempo nos debatendo para evitar ou eliminar qualquer experiência que ainda não se ajuste no nosso pequeno e rígido mundo congruente.

O que é realmente satisfatório é ter um balanço dinâmico entre a congruência e a incongruência e uma completa avaliação sobre a importância e o valor de ambas. A congruência permite nos concentrarmos completamente numa experiência temporária, tanto para apreciá-la plenamente como para aprender com ela, ou para realizar algo. A incongruência nos permite considerar as possibilidades e as consequências infinitas que a vida continuamente nos oferece. A fim de manter esse balanço, precisamos entender e apreciar bem os dois lados da balança, ter meios para detectar os diferentes tipos de desequilíbrio, e ter meios para restaurar o balanço quando detectarmos o desequilíbrio.

Steve Andreas com sua esposa Connirae estão aprendendo, ensinado e desenvolvendo padrões de PNL desde 1977. Juntos, começaram o NLP Comprehensive. Editaram e escreveram vários livros e mais de cinquenta artigos sobre PNL. Site: www.steveandreas.com

O artigo "Congruence" se encontra no site NLP Comprehensive.

Tradução JVF, direitos da tradução reservados.
Estamos utilizando as mudanças ortográficas nos artigos novos.
 

Sociedade Brasileira de PNL
Actius, consultoria, Desenvolvimento e Liderança
INAp
PAHC
CDP - Leoclides Marcon
INEXH
Instituto de Thalentos
Sociedade Internacional de PNL by Claudio Lara
INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO DO POTENCIAL HUMANO
Mundo das Metáforas
Metas e Objetivos
e-mail enviando comentário site do GOLFINHO
Obrigado!
Volte sempre.

volta à página onde você estava volta página inicial
Esta página é produzida e mantida pela Equipe do Golfinho Webdesign
Hospedado por: LOCAWEB

Google Facebook